quinta-feira, 18 de dezembro de 2008

ÀS VEZES SINTO SAUDADES

9 comentários:

Laura disse...

Amar, a mais sábia e poderosa das artes que nem todos por mais que aprendam, conseguem expressar! Sou tão simples, tão pouca coisinha, mas o que melhor sei fazer, é lidar com essa pura arte, a de AMAR!... Amo a você minha amiga, desde hoje, de ontem e de sempre.
Receba minha gratidão por tanto amor que deixa em meu coração!...

Isa disse...

Bom Dia! Tb. sinto essas saudades!
Lindo:dançar rosto coladinho! :):)
Beijoo.
isa.

A. João Soares disse...

Não acredito que seja desse tempo distante! Com essa juventude não pode ter vivido nessa época!
Querida amiga, recordar é viver, mas não se deixe dominar pelas saudades, pois estas dificultam a aceitação do presente, do AGORA, e impede que sejamos felizes.
Só há um momento em nos podemos sentir felizes: Agora.
Beijos e votos de um Feliz Natal
João

Zé do Cão disse...

Zélia.
Só agora reparei em você, através do blog da Laura.
Jovem, que sensibilidade, que trabalhos lindos apresenta. Que gosto.
O nome indica origens italianas. E ese é o País da arte....

Santo Natal

JOTA ENE ® disse...

Agradeço o seu comentário e um ...

(¯`v´¯)¤
.`•.¸.•´
¸.•´¸.•´¨) ¸.•*¨)
(`'·.Feliz¸.·'´)
(`'·.Natal!¸.·'´)
¸.·*)*¸.·´¨)*´¨)¸.·*¨)
(¸.·(¸.·´ .·´¸¸.·´*´¨)

Rodolfo N disse...

Bellísimo este blog, amiga.
No lo conocía y hermosas tus creaciones.
Felicidades!!!!!!!

xistosa - (josé torres) disse...

Afinal o caminho não tem pedras.
é sempre a direito e fácil.
Quem não conhece é que se perde.

Vim descobrir um mundo novo, já com uns anos ...

Saudades sentem-se sempre.
Naquelas alturas havia o fruto proibido, a transgressão que nos tornava "adultos", quando nos víamos ao espelho.

Tempos que que a actua juventude nem saberia apreciar com as facilidades da vida actual.

Vou voltar.

Não quero sobrecarregar o "notebook" que não é meu.

Parabéns por esta lufada de ar fresco.

marius70 disse...

Olá Zélia

Por vezes também tenho saudades, dos tempos em que ouvia os "Incríveis"... «Eu te amo meu Brasil eu te amo...» Ou o Roberto... «E que tudo mais vá pró inferno». Ou o Erasmo... «Sentado à beira do caminho».

É, é isso mesmo. Dos bailes de garagem, do encostar a cara, da perninha marota tocando na menina, dos sonhos, da fantasia que nos deixava todos aqueles momentos, o despertar dos sentidos. O menino tornando-se homem.

Saudade não é ficar parado no tempo, é reviver o passado mas sempre vivendo o presente.

Mas que dá de vez em quando uma saudadinha forte desse passado dá!

Tudo de bom e Boas Festas!

Pena disse...

Linda Amiga:
Espero que tivesse tido uma boa Consoada na companhia dos seus familiares.
Mando-lhe um bocadinho de mim para me conhecer melhor.
A vida que Ele me deu, não é só minha. É de todos!
Adoro a noite. Amo a noite. A sua tranquilidade. O seu bem-estar. O sossego.
Será normal que o crepúsculo do entardecer o veja com deslumbre e querer?
Dizem-me que devo fazê-lo, porque o seu significado e a sua beleza me conquistam.
Arrebatam-me!
Talvez, Deus quisesse que o fizesse desta forma. Quando lhe pergunto, não me responde! Só acena com a cabeça. Só me diz que poderei ter um pouco de sucesso.
Mas, pouco!
Ele sabe?
Vá lá. É claro que sabe.
Olho tudo e olho-me.
Por que és assim? Olhem, porque sou! Tinha de ser de alguma maneira!
O tempo passa. Não espera por ninguém, ou será que espera?...

Como vê nem eu me conheço a mim próprio.
Agradecido pela deliciosa visita de sonho.
Beijinhos de respeito amigos.

pena